Banho de balde relaxa e alivia cólicas

2
Bebê toma banho de balde (Foto: Mães de Peito)

Bebê toma banho de balde (Foto: Mães de Peito)

O banho de balde tem se popularizado entre os pais por ser mais prático, afinal, o bebê raramente chora ao ficar naquela água morninha quase até a altura do pescoço. Os pais podem utilizar ervas para ajudar a aliviar, por exemplo, as terríveis cólicas e relaxar ainda mais o pequeno.
A camomila, por exemplo, é ótima para a pele, além de ser calmante e digestiva. Já o  manjericão ajuda o bebê a relaxar e, por ser digestivo, alivia as cólicas. Hortelã e sálvia também são boas para melhorar gripes, resfriados e vias aéreas congestionadas.
Os pais podem optar em por diretamente as ervas no banho ou, se preferir, fazer um chá e colocá-lo no balde.
Além das ervas ajudarem a relaxar, o banho de balde deixa a criança bem calminha pois parece muito com o formato do útero materno e por ficar em posição fetal dentro dele. Nas banheiras tradicionais, o bebê fica muito solto e, por isso, chora praticamente o banho todo transformando em ‘tensão’ algo que deveria ser fácil e prazeroso para pais e filhos.
Pediatras explicam que o bebê não precisa usar xampu em todos os banhos, principalmente, com os bebês até seis meses que ainda não engatinham e passam a maior parte do tempo no colo ou no berço. Vale ressaltar também que assim que nasce, o recém-nascido não precisa de banho como ocorre na maioria das maternidades do país. O ideal é que o primeiro banho seja dado apenas no dia seguinte.

A Sociedade Brasileira de Pediatria ressalta que o vérnix caseoso (a camada de gordura que recobre a pele do recém-nascido) não deve ser removido imediatamente pois é uma proteção para o bebê. Segundo a sociedade, a remoção do vérnix que não foi reabsorvido pelo organismo deve ser feita  somente 24 horas após o nascimento.

O primeiro banho já pode ser de balde, inclusive, na maternidade. De tão relaxante, alguns bebês chegam a dormir durante o banho. Os pediatras recomendam enrolar o bebê em uma toalha fralda ao colocá-lo na água, principalmente, nos primeiros dias de vida.

CUIDADOS 

Os pais precisam ficar atentos com a temperatura da água, que não pode ultrapassar os 38 graus. Outro cuidado importante é não deixar o bebê colocar a água na boca. Uma dica é segurar com as pontas dos dedos o queixo do neném para dar uma leve sustentação à sua cabeça.

A prática desse tipo de banho surgiu no final dos anos 1990 na Holanda e se espalhou pelo mundo. A recomendação é comprar os baldes próprios para bebês pois o acabamento é melhor, ou seja, desta maneira os pais evitam que lascas ou rebarbas possam machucar o bebê.

Os pais vão notar que o balde não pode ser mais usado quando a criança passar a fixar os pés no fundo dele e tentar elevar o corpo.

Quando o bebê já não puder mais usar aqueles baldes tradicionais, vale usar aquelas bacias emborrachadas coloridas que  também permitem um banho de muita diversão.

Compartilhe!

2 Comentários

  1. Lindo o artigo! Gratidão pelas informações, extremamente relevantes!
    Em breve darei a luz, já tenho o balde e a intenção de usa-lo muito. A minha dúvida é se há necessidade de uma banheira convencional para os banhos do dia-a-dia, ou os banhos podem ser dados no ofurô mesmo, como prática diária?
    Obrigada!

    Roberta e Darshan

  2. Giovanna Puerto Carlin em

    Giovanna, minha xará!! Amo o mães de peito e está sendo uma delícia rever seus vídeos e posts agora com a chegada do meu caçulinha, Gael, de 7 semanas!! Que gostoso!!! Beijo enorme com muito carinho e admiração!!
    Gi

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.