Bebê com síndrome de Down sofre preconceito em rede social

0
Juliana com o sobrinho em foto que foi alvo de críticas (Foto: arquivo pessoal)

Juliana com o sobrinho em foto que foi alvo de críticas (Foto: arquivo pessoal)

No último dia 21 foi celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Down e a jornalista Juliana Preto,37, decidiu postar na sua página pessoal do Facebook uma foto do sobrinho Fernando, 11 meses, para homenageá-lo na data. Não imaginaria que logo em seguida a foto seria alvo de preconceitos de uma blogueira de moda de Pernambuco que fez vários comentários ofensivos ao menino e a quem tem a síndrome de Down.

“É que nem filhote cachorro. Lindo quando são pequenos, mas crescem e só pensam em trepar”, comentou a blogueira na foto. A mãe do menino, a advogada Maria Cláudia Albuquerque, 28, conta que ficou espantada quando viu os comentários feitos na última quinta-feira (23) e que ficou alguns minutos sem saber o que fazer. “Quando vi estava imersa no amor do meu filho. Estava dando jantar para ele. Depois, respondi para ela que vou criar meu filho com educação, amor e respeito, coisas que ela não deve conhecer”, comenta.

Juliana conta que tem a blogueira como contato no Facebook pois ambas são jornalistas e que se conheceram uma vez em um evento. “Ela comentou do nada, fez a ofensa gratuitamente”, afirma a mãe de Fernando. A advogada diz que foi a primeira vez que sofreram preconceito virtualmente. “Uma vez sofremos preconceito do porteiro do nosso prédio, mas ele é uma pessoa com pouca instrução e que depois veio até nos pedir desculpas e, é claro, eu aceitei prontamente pois ele não sabia  sobre a síndrome de Down”, comenta.

Os pais de Fernando decidiram procurar a polícia e registrar um boletim de ocorrência contra a agressora. “Acredito que ela achou que não iria acontecer nada, mas foi intimada a depor.  As pessoas precisam pensar antes de escrever alguma coisa na internet pois precisam saber que não ficarão impunes”, diz a mãe de Fernando.

A blogueira foi procurada pela reportagem para comentar o assunto, mas não foi localizada. A reportagem não divulga o nome dela pois não conseguiu contato com ela. As páginas dela nas redes sociais e os comentários na foto do menino foram removidas logo após o caso ganhar repercussão. O delegado responsável pelo caso, Paulo Rameh, registrou o caso como injúria qualificada e a jovem pode pegar de 1 a 3 anos de reclusão pelo crime, além de pagar uma multa. A expectativa é que a blogueira preste depoimento nesta segunda-feira (27).

Para o site JC, o advogado da blogueira, Humberto Cavalcante, disse que as imagens foram propagadas fora do contexto e que não corresponde à realidade. “O que era apenas um debate entre colegas de forma coloquial numa rede social, foi mal interpretado de maneira diferente do real significado. Além do mais, uma discussão onde foi colocada uma visão geral do problema foi tida como ofensa pessoal aos envolvidos quando não foi. Julia além de não ser a favor do preconceito de nenhuma forma ainda defende minorias”. O advogado relata ainda que a boqueira passa por um processo depressivo e de síndrome do pânico e que está em tratamento após uma tentativa de suicídio. Ele diz ainda que ela irá prestar depoimento à polícia para esclarecer os fatos.

Comentários feitos na página da tia do menino (Foto: Reprodução)

Comentários feitos na página da tia do menino (Foto: Reprodução)

 

Compartilhe!

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.