BLW; saiba como fazer a introdução alimentar saudável e sem engasgos

0
Compartilhe!

Gabriel devora uma manga aos sete meses (Arquivo pessoal)

Muitos pais têm interesse – e curiosidade – em fazer  o método BLW (Baby-led Weaning, ou em tradução livre o desmame que o bebê lidera) na hora de iniciar a introdução alimentar. No entanto, muitos optam pela tradicional papinha com medo de engasgos e por não saber como fazer corretamente o BLW, que é uma forma mais simples de fazer a introdução alimentar, afinal, é servido para a criança o mesmo que a família come – desde que sejam alimentos saudáveis, é claro.

A consultora de saúde inglesa Gill Rapley, autora do livro “BLW  – O Desmame Guiado pelo Bebê” com a jornalista Tracey Murkett, deu uma entrevista ao Mães de Peito onde explica como fazer de forma correta a introdução alimentar.  Ela comenta que todas as pessoas, inclusive os bebês, têm um pequeno risco de engasgar em algum momento da vida. No entanto, os  principais fatores de risco para asfixia (em todas as idades) são:

  • ser alimentado por outra pessoa
  • estar distraído
  • deitado ao comer
  • oferecer alimentos que são conhecidos como riscos de asfixia (especialmente para crianças pequenas), tais como nozes, uvas inteiras ou tomates cereja inteiros

Gill, que é percursora do método, diz que para o BLW dar certo é preciso seguir algumas medidas simples de segurança. São elas:

  • O bebê deve estar bem sentado ao comer
  • Permita que o bebê se concentre na comida – sem ser apressado ou pressionado para comer mais
  • Certifique-se de que apenas o bebê coloca comida na boca
  • Evite alimentos que apresentam um risco de bloqueio, como nozes (inteiras e em pedaços), alimentos duros que podem se encaixar facilmente (cenoura crua, fatias de maçã) e pequenos alimentos redondos
  • Corte as uvas, azeitonas e pequenos tomates pela metade. Remova os caroços das frutas.

Gill explica que é bastante comum as pessoas confundirem asfixia com gag reflex, que  é uma espécie de ânsia de vômito, ou seja, não é engasgo.  “Todos os pais devem aprender o que fazer no caso de uma criança engasgar. Não só os que escolhem o BLW, mas também aqueles que preferem dar papinha. Criança pode engasgar com brinquedos, moedas, etc”, comenta a especialista.

Ela afirma que dar comida para o bebê segurar e mastigar não é novidade. “No BLW não existe alimentação com colher ou purês, sopinhas. O alimento amassado não ensina o bebê a mastigar ou a comer com segurança porque a comida é sugada diretamente para a parte de trás da boca e engolida, sem mastigar. O BLW ajuda os bebês a aprender a mastigar com segurança, permitindo que eles explorem e progridem lentamente, no seu próprio ritmo”, observa.

A especialista explica que o BLW é uma abordagem para a introdução de alimentos sólidos que se encaixa na forma como os bebês se desenvolvem e aprendem, tornando processo mais agradável e tranquilo  para os bebês e suas famílias. A ideia é que no BLW o bebê faça suas refeições com o restante da família e os bebês explorem os alimentos e  decidam quanto comer. “Eles ficam confiantes com os alimentos e podem manter sua habilidade natural para controlar sua própria ingestão de alimentos, então, eles aprendem a não comer demais”, detalha Gill. Os bebês que são amamentados seguem com o leite materno sendo sua principal fonte de nutrição e vai se ajustando gradualmente a dieta mista.

Ao oferecer somente alimentos saudáveis e deixar que o bebê coma o que tem vontade, a criança cresce com um relacionamento mais saudável com os alimentos não sendo forçado a comer “mais uma colherada” ou a “raspar o prato” sem ter vontade de comer. “Assim não há batalhas nas refeições”, observa Gill. “É provável também que ele melhore a coordenação motora, desenvolvimento do maxilar e também da fala.

QUAIS ALIMENTOS COMEÇAR

Não tem necessidade de começar com fruta ou com legumes. A família passa a servir o que estiver comendo desde que seja alimentos que não contenham muito sal, açúcar ou produtos artificias com corantes, etc. “Os bebês precisam apenas de pequenas quantidades de alimentos sólidos para complementar sua alimentação com o leite. O mais importante é oferecer alimentos que contêm ferro e zinco, como carne e ovos. Também pode oferecer peixes, legumes, feijão, verduras e  frutas”.

Um equívoco sobre BLW é que as pessoas pensam que devem oferecer apenas frutas e legumes no início deixando carnes, peixes e ovos para depois.  “Isso era apropriado quando se acreditava que bebês de quatro meses precisavam de alimentos sólidos. Mas, como a introdução alimentar acontece somente após o sexto mês, os bebês estão prontos para tentar todos os grupos de alimentos – e especialmente alimentos ricos em ferro”.

LEIA MAIS: Bebês não precisam de suco; troque a bebida pela fruta

No BLW, você coloca o alimento na frente da criança para que ela alcance, ou seja, não precisa oferecer a ela. “Não precisa colocar pratinho ou em potinhos pois isso vai distrair a criança. Coloque na própria mesa ou no cadeirão”.

Comida é colocada na frente do bebê para ele se servir

Comida é colocada na frente do bebê para ele se servir

Gill ressalta que os bebês não começam a comer no momento que você coloca a comida na frente deles. “Eles geralmente gastam algumas semanas (pelo menos) explorando a comida – sentindo, esmagando, cheirando, lambendo para então provar. Somente depois vão estar prontos para  mastigar e engolir. Se o seu bebê fica no seu colo nas refeições, sua primeira experiência de comida mais provável é que  venha do seu prato”, diz.

O livro, recém-lançado no Brasil pela editora Timo, oferece aspectos práticos de como começar, quais alimentos oferecer, como apresentá-los e o que esperar – e inclui uma útil seção de solução de problemas. No livro há também muitas histórias de pais, oferecendo uma visão de como o  BLW funciona para os bebês na vida real e no dia a dia das famílias.

Uma das dicas que as autoras dão é que não precisa dar alimentos cortados em pequenos pedaços pois a criança antes dos 8 ou 9 meses, não consegue apanhar a comida cortadinha. “Eles precisam de grandes pedaços de comida para que possam lidar melhor com ela. Carnes grandes e macias são uma ótima opção”.

POR QUE NÃO DAR PAPINHA E FAZER O FAMOSO AVIÃOZINHO?

Na tentativa de fazer os filhos “comerem bem”, muitos pais apelam para o tablet, TV ou algum brinquedo para distrair a criança e tentar dar mais uma colherada para o bebê. “Normalmente isso ocorre em uma falsa crença sobre a quantidade de alimentos que as crianças precisam. A distração impede que o bebê se concentre em comer, ensinando a ignorar os sinais em seu corpo que indicam o quanto de alimento ele precisa. Isso pode levar a uma vida de restrição de alimentos ingeridos e excesso de comida”, diz.

livro

Ela observa que a  maioria dos pais – e  muitos profissionais de saúde –  acreditam que um bebê precisa de muito mais para comer do que ele realmente  precisa. “Basta olhar o tamanho dos frascos de papinhas prontas. Se o bebê mama em livre demanda, com menos de um ano de idade ele precisa apenas de pequenas quantidades de zinco e ferro para completar sua nutrição”.

Já o  BLW encoraja a criança a comer conscientemente, concentrando na comida e no que seu corpo está dizendo, permitindo desfrutar de um comer prazeroso e com saúde. “O principal objetivo dos alimentos é a introdução de sabores e texturas, e proporcionar prática na mastigação. Em contraste, os bebês alimentados com colher geralmente são sobrealimentados, em parte porque o purê é rápido para engolir e em parte porque eles tendem a ser persuadidos a comer mais do que precisam”.

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.