Campanha vai mostrar as violências silenciosas contra as mulheres

0

“Vai sair assim?”, “mulher minha não sai sem o marido”, “gorda”, “feia”, “vadia”. A violência contra mulher muitas vezes começa dentro dos próprios lares e é silenciosa. A violência psicológica, moral, patrimonial, física e sexual são alguns sofrimentos comuns – e diários – para muitas mulheres.

Agressões  muitas vezes não deixam marcas e essas mulheres chegam a ser questionadas se realmente foram vítimas. Não só por familiares, mas por amigos, autoridades e por quem deveria zelar pelo bem estar dela. No Brasil, as vítimas enfrentam muitas dificuldades para reconhecer a violência sofrida e, principalmente, denunciá-la.

Para chamar à atenção sobre esse fato, a ONG Artemis – entidade de defesa dos direitos das mulheres – lança no próximo dia 27 a campanha #tambéméviolência. A campanha tem o intuito de conscientizar a sociedade sobre este tema, apontar sinais de violências banalizadas em relacionamentos abusivos e oferecer medidas práticas para ajudar as mulheres vítimas de violência doméstica.

Vale ressaltar que o Brasil ocupa o quinto lugar no ranking de feminicídio entre 84 países, de acordo com um ranking da ONU Mulheres. Estudos mostram que 41% dos casos de violência doméstica acontecem dentro de casa e 57% ocorrem após o término de um relacionamento. Além disso, três em cada cinco mulheres sofreram, sofrem ou sofrerão violência em um relacionamento afetivo no Brasil.

A campanha tem o apoio da marca Lush, que incentiva campanhas de mobilização social pelos direitos humanos, e vai reverter 100% das vendas do sabonete Karma para a Artemis. No lançamento da campanha, ocorrerá um ato, às 12h, em frente ao Tribunal de Justiça de São Paulo para unir as ativistas feministas para exigir dos tribunais o cumprimento efetivo da lei de proteção a qualquer tipo de violência contra a mulher. Atualmente os tribunais não têm reconhecido denúncias sobre violências psicológica, patrimonial e moral – apesar de constarem na lei Maria da Penha. A campanha vai até dia 10 de outubro.

Durante a campanha também será divulgada uma cartilha com as informações sobre violência doméstica e orientações para as mulheres denunciarem seus agressores. Para baixar a cartilha e ter mais informações sobre a Artemis clique aqui.

Qualquer internauta pode participar da campanha usando a hashtag #tambéméviolência para relatar casos vividos que envolvam “qualquer conduta que lhe cause danos emocional e diminuição da autoestima ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica”, conforme definição da Organização Mundial de Saúde.

Compartilhe!

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.