Com frio, casos de bronquiolite disparam e lotam hospitais

0
Casos de bronquiolite disparam com a chegada do frio (Foto: arquivo pessoal)

Casos de bronquiolite disparam com a chegada do frio (Foto: arquivo pessoal)

Quem tem filho pequeno dificilmente não conheça a temida bronquiolite. Com a chegada do frio, os casos da doença aumentam consideravelmente e os pais devem ficar atentos pois os sintomas iniciais são parecidos com o de um resfriado.

Além de ser responsável por lotar os prontos-socorros dos hospitais, a doença respiratória é uma das principais causas de internações nesta época do ano.

O pediatra Felipe Lora, do Hospital Infantil Sabará, explica que a doença é mais comum em crianças menores de dois anos e é ainda mais grave quando atinge bebês até o sexto mês de vida. O médico diz que a bronquiolite é causada por vírus. Para tentar evitar a doença, os pais devem evitar que os filhos tenham contato com pessoas resfriadas e evitem locais com grande aglomeração de pessoas.

As escolinhas, infelizmente, são um dos principais locais para as crianças pegarem o vírus que se aloja nos objetos e não no ar. Como os pequenos têm o costume de levar objetos e brinquedos à boca, eles são mais suscetíveis a ter a doença.

A bronquiolite, no início, pode ser confundida com um resfriado comum, pois apresenta sintomas como tosse, coriza e febre. No entanto, após três dias, a segunda fase da doença começa a se manifestar causando desconforto respiratório.

O médico explica que os pais devem observar se a criança apresenta sinais de cansaço, como aumentar a frequência respiratória (acima de 60 respirações por minuto em crianças menores de um ano, por exemplo).

“Se a criança se esforça para respirar usando os músculos do pescoço e barriga, apresentar prostração, é um sinal de que ela pode ter a doença e deve ser avaliada por um médico”, diz. Somente no Sabará, foram 201 internações até maio deste ano por conta de bronquiolite. Já no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP os casos de bronquiolite são registrados em 50% dos seus pacientes internados nesta época do ano. A tendência é que aumente o número de casos agora com a chegada do inverno.

No ano passado, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde, 13.300 casos de bronquiolite foram registrados na rede pública do Estado em crianças de até quatro anos. Deste total, 10.700 pacientes eram em bebês com menos de um ano. E cerca de 40% dos casos foram concentrados nos meses de maio, junho e julho.

O médico explica que crianças com doenças crônicas pulmonares, cardíacas, neurológicas, prematuros e com imunodeficiências têm mais risco de apresentar a forma grave da doença.

O tratamento, explica o médico, é feito com inalação com soro fisiológico e suporte respiratório podendo haver internação para o uso do oxigênio, além da medicação sintomática que é prescrita pelo médico. Muitas vezes são indicadas sessões de fisioterapia para auxiliar na recuperação da criança, que pode levar cerca de uma semana.

Compartilhe!

Comments are closed.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.