Como conseguir ter sucesso na amamentação gemelar

8
Mãe amamenta simultaneamente gêmeos (Foto: Lela Beltrão)

Mãe amamenta simultaneamente gêmeos (Foto: Gabi Trevisan)

Muitas mães de gêmeos ficam inseguras se darão conta de amamentar os dois bebês. Assim como qualquer mãe, elas precisam seguir cinco dicas para ter sucesso neste quesito: amamentar os bebês ainda na sala de parto na primeira hora de vida, alojamento conjunto na maternidade, não usar mamadeiras e chupetas, ter apoio e, é claro, amamentar em livre demanda.

No início a mãe pode encontrar dificuldades em amamentar os bebês simultaneamente, então, é aconselhável ela retirar o seu leite, armazenar para ser servido a um dos filhos por uma outra pessoa enquanto ela amamenta um dos bebês. Na outra mamada, esse bebê vai para o peito e outro recebe o leite pelo copinho. Veja aqui como utilizar o copinho.

Essa fase, no entanto, dura pouco tempo pois logo a mãe se adapta a segurar os dois bebês e amamentá-los simultaneamente.  A mãe pode revezar as mamas com os bebês, mas também é normal que cada criança prefira ser amamentada por um único peito não havendo qualquer contraindicação para isso já que as duas mamas estarão sendo estimuladas.

A amamentação tende a fluir mais facilmente no caso de gêmeos nascidos a termo (no tempo certo) e que não precisam, por exemplo, passar meses ou dias na UTI (Unidade de Terapia Neonatal). Mesmo assim, a mãe deve ser orientada a retirar seu próprio leite para que possa ser servido aos seus bebês mesmo que por meio de sondas até que ele aprenda a sugar. LEIA MAIS: entenda o que é a relactação

Mãe de cinco filhos, a advogada Sara Reis, 37, teve duas gestações gemelares e sempre teve sucesso no quesito amamentação tanto é que ela se considera uma privilegiada no assunto. Ela conta que depois de ser mãe de Bento, 7, nasceram as gêmeas Nina e Luiza, 5, e que a pressão social e os protocolos hospitalares foram as maiores barreiras que encontrou.  “Sempre digo que para uma mãe conseguir amamentar gêmeos ela tem que ser no mínimo teimosa, pois além dos limites físicos terá que lutar contra toda uma sociedade que desacredita do seu poder de amamentar. Este é o maior desafio. Qualquer mãe precisa de apoio para conseguir amamentar, especialmente uma mãe gemelar” comenta.

Ela conta que desde a gestação escutou, inclusive de profissionais de saúde, que era impossível amamentar gêmeos exclusivamente. “É fato consumado que toda e qualquer mãe gemelar sai da maternidade com uma indicação de leite artificial para seus bebês e uma dose extra do sentimento de impotência e incapacidade”, afirma a mãe, que amamentou as gêmeas até 2 anos e nove meses.

O desmame delas ocorreu de forma natural e, ao perceber o desinteresse das meninas pelo peito, descobriu que estava grávida novamente dos gêmeos Davi e Clara.

GÊMEOS FORAM PREMATUROS

Ela conta que os gemelares nasceram com 35 semanas e que eram ‘preguiçosos’ pois dava trabalho fazer eles mamarem. Como nasceram, em ambas ocasiões, com menos de três quilos, ela diz que adotou um sistema que que chamou de ‘intensivão das mamadas’ . “Amamentava de 2 em 2 horas durante 24 horas por dia até completarem 3 kg. E assim foi, de grama em grama, minha confiança sendo construída e firmada”, relata.

Após essa fase de “engorda”, Sara diz que começou a amamentar as meninas simultaneamente e que foi ótimo para otimizar o tempo e facilitar a rotina. “A livre demanda foi algo crucial para o sucesso da amamentação dos meus filhos, principalmente dos gemelares, pois foi isto que garantiu a produção de leite necessária para saciar meus bebês e dispensar todo e qualquer complemento. Bebê no peito é sinônimo de alta produção de leite, claro que, deve estar aliada a calma, à ingestão de líquidos e ao apoio”, relata.

Todos os seus filhos mamaram exclusivamente até o sexto mês de vida. Os caçulas, que estão com quase 2 anos, ainda mamam e, diz a mãe,  “seguirão mamando até quando eles quiserem”, comenta Sara, que comemora nunca ter dado mamadeira ou chupeta aos filhos. O mais velho, o único que não é gemelar, foi o que mamou menos (até um ano e meio) por conta de um sério descolamento de placenta na primeira gestação gemelar.

Apesar dos partos gemelares terem sido prematuros (com 35 semanas), os bebês não precisaram de UTI e nasceram de parto normal. Sara conta que as gestações gemelares foram naturais e uma grande surpresa. Ela diz que o principal conselho que dá a uma mãe de gêmeos é acreditar que ela pode amamentar. “A natureza é perfeita. Se ela conseguiu nutrir dois bebês no seu ventre, conseguirá também nutrí-los com seu leite. Não deixe que mamadeira e chupeta faça parte do seu enxoval, não aceite de presente e não compre. Não tenha leite artificial em casa também, acredite em você, condicione o seu cérebro ao sucesso na amamentação. Tampe os ouvidos e siga seu instinto, se entregue, se desprenda. Amamentação é isso, entrega, doação e vida”, relata.

Sara também conta que os caçulas têm APLV (Alergia à Proteína do Leite de Vaca) que foi descoberta no segundo mês de vida deles. A amamentação continuou e ela faz dieta excluindo do seu cardápio leites e derivados, ovo, soja e amendoim.  Leia mais sobre a dieta que fazem as mães que amamentam filhos alérgicos.

Sara amamenta caçulas ao lado dos outros três filhos (Foto: arquivo pessoal)

Sara amamenta caçulas ao lado dos outros três filhos (Foto: arquivo pessoal)

 

Compartilhe!

8 Comentários

  1. Meus gêmeos estão com 2 meses e meio e seguimos com amamentação exclusiva. Realmente amamentar é um ato de resistência. Antes de partir já queriam me dar latas de complemento. Família, médicos desconhecidos, ninguém acredita que conseguiremos. E sim, é muito possível!!!
    Acho lindo compartilhar nossas experiências de sucesso pra incentivar cada vez mais mulheres que entrarão nesse mundo magico e louco que é o gemelar.

  2. Tenho gêmeas hoje estão com 1 ano e sete meses. Nasceram de 36 semanas. Até 7 meses a amamentação foi exclusiva no quesito alimentação. Somente depois de sete meses começaram a ingerir frutas e sucos.
    Hoje já estou me sentindo exausta, elas mamam três vezes cada uma durante a noite. Mas, só de pensar em tira-las do peito me dá um aperto no coração.
    Amo poder amamentar!!!

  3. Não sei o que faço…
    Tenho medo de amamentar os dois ao mesmo tempo pq são muito molinhos e engasgam sempre aí dou de mamar para um de cada vez mais eles mamam a cada 1 hora então eu não durmo nem faço mais nada
    Não sei mais o que fazer…

  4. ISABELLE MAURUTTO em

    Reportagem muito inspiradora! Gostaria de saber se a Sara tem relato dos partos gemelares! Estou grávida, hoje de 16 semanas. São bivitelinicos! E estou sonhando com um parto normal! Já sou mãe de Caetano, nasceu prematuro. Graças a Deus foi parto normal e não houve necessidade de intervenções! Grata

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.