Em 4 meses, mãe doa 33 litros de leite materno para maternidade de SP

0
Prematuro na incubadora recebe leite materno (Foto: Lente Materna Fotografia)

Prematuro na incubadora recebe leite materno (Foto: Lente Materna Fotografia)

Em apenas quatro meses, a analista de sistemas Carina de Brito Silva, 27, doou quase 33 litros de leite para o banco de leite do Hospital Leonor Mendes de Barros, na zona leste de SP. Ela foi a maior doadora da maternidade neste ano. Nesta quinta-feira (1º) é celebrado o Dia Nacional de Doação de Leite Humano.

De acordo com o hospital, de janeiro a maio, ela doou 32 litros e 830 ml de leite materno. Mãe de Bernardo, de 9 meses, ela está grávida novamente e conta que pretende voltar a ser doadora após Benjamin nascer, em março de 2016. “Sempre tive muito leite. Doava em média 15 potes de 350 ml por semana”, conta.

Ela diz que a mãe dela foi doadora para o banco de leite há 21 anos, quando a irmã dela nasceu prematura. “Sabemos como é importante esse leite para os bebês prematuros”, afirma. A irmã dela nasceu aos sete meses de vida pesando apenas 1,2 quilo. “O leite materno foi de extrema importância para ela ficar forte e ir para casa”, comenta.

SAIBA MAIS: A importância de doar leite materno e vidros aos bancos de leite

Segundo ela, quando foi a sua vez de doar as enfermeiras do banco de leite foram até sua casa e passaram várias informações. “Tive meu filho em uma maternidade particular e não me ensinaram praticamente nada sobre amamentação. As enfermeiras do banco de leite me orientaram muito”, conta.

Carina e o filho recém-nascido (Foto: Arquivo pessoal)

Carina e o filho Bernardo (Foto: Arquivo pessoal)

Carina usava a bombinha para fazer a ordenha toda vez que amamentava seu bebê. Ela diz que, além de salvar vida de prematuros, retirar o leite excedente ajudava a não ter dores nas mamas. “Fiquei surpresa quando soube que foram quase 33 litros. Não tem como você ter leite sobrando e não doar. Não dá o menor trabalho e tem muita criança que precisa”, comenta.

Carina conta que um dia ouviu de uma mãe que ela não amamentou por questões estéticas. “Penso que a estética podemos arrumar depois se achar que é preciso. Sempre fui incentivada a amamentar, inclusive pelo meu marido, que fez questão também que eu doasse o leite excedente”, afirma.

A importância do leite materno para os bebês foi retratada em um documentário chamado “Há cura em suas mamas”, gravado em 2012 na maternidade onde Carina foi doadora.

O filme feito pela Lente Materna Fotografia, a AMS (Aleitamento Materno Solidário) e o canal Webfilhos, traz relatos de mães com filhos internados e profissionais da saúde que explicam como nenhum leite artificial pode substituir o leite humano. Assista no link abaixo:

Compartilhe!

Comments are closed.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.