Parto normal gemelar; saiba quando ele é possível

0
Compartilhe!
Mãe com gêmeas logo após cesárea intraparto (Foto: Kátia Ribeiro)

Mãe com gêmeas logo após cesárea intra-parto (Foto: Kátia Ribeiro)

Quando a gestante descobre que está grávida de gêmeos há várias informações que ela precisa buscar, entre elas, quais são os tipos de gestação gemelar e, é claro, sobre parto e como amamentar dois bebês.

A obstetriz Priscila Raspantini, da Casa Moara, explica que as gestações de gêmeos são classificadas pela quantidade de placentas e de bolsas (veja mais no fim do texto). “Uma gestação gemelar pode ter duas placentas e duas bolsas ou uma placenta e duas bolsas ou ainda uma placenta e uma bolsa”, explica.

Quando os gêmeos não são idênticos, a mãe tem duas placentas. “A maioria dos gêmeos idênticos  – cerca de 90% – tem uma placenta única. A gestação que requer mais cuidados é quando é uma bolsa e uma placenta só, que chamamos de mono-mono.”

O parto normal gemelar é sim possível, mas é preciso avaliar vários itens, entre eles, o posicionamento dos bebês no final da gestação e também sobre a prematuridade. Infelizmente, no Brasil, são poucos os profissionais aptos a atender esse tipo de gestação e normalmente as mulheres acabam em cesáreas antes mesmo de entrar em trabalho de parto.

No entanto, há casos que o parto normal gemelar, não é indicado. “Bebês prematuros de parto pélvico, por exemplo, o parto normal não é indicado. Quando o primeiro bebê  está cefálico é que vai determinar se o parto pode ser normal. O segundo, depois que nasce o primeiro, pode virar e também pode ficar cefálico ou pode nascer pélvico de parto normal”, relata.

A gestante que tem o parto induzido ou entra em trabalho de parto naturalmente é monitorada mais vezes com o cardiotoco, no entanto, a paciente pode durante o trabalho entrar no chuveiro e se movimentar.  “Quando é uma placenta única, é preciso ficar ainda mais atento e monitorar mais vezes”.

LEIA MAIS: Como ter sucesso na amamentação gemelar

PARTO DOMICILIAR

É importante ressaltar que a gestação gemelar não é de risco habitual e, por isso, o parto domiciliar não é recomendado, ou seja, gêmeos devem nascer sempre no ambiente hospitalar, principalmente, pelo risco da prematuridade e também porque é necessário monitoramento constante dos bebês durante o trabalho de parto. “Mesmo quando a gestação gemelar é menos complicada, que é quando há duas placentas e duas bolsas, o parto deve acontecer no hospital”, explica.

A taxa de cesáreas em parto gemelar é sempre maior do que no caso de gestação com feto único, mesmo com os profissionais que atendem o parto humanizado. “A gestação gemelar é de alto risco pois tem  risco de várias complicações na gestação como hipertensão, diabetes, prematuridade e também riscos no parto e, por isso, tem que ser no hospital e com equipe preparada para acompanhar parto gemelar”, relata.

A obstetriz explica que o risco é maior porque o útero fica bastante distendido e nem sempre consegue contrair, ou seja, pode acontecer uma hemorragia e também há o risco dos bebês não nascerem bem, principalmente,  no caso de placenta única. “Também pode acontecer do primeiro nascer de parto normal, mas por prolapso de cordão (quando o cordão sai antes que o bebê), é preciso fazer uma cesárea de emergência”.

ATÉ QUANDO ESPERAR?

A obstetriz explica que é muito importante que a gestante seja acompanhada por uma equipe experiente que vai avaliar uma série de fatores para decidir até quando a gravidez pode continuar. “O tamanho de um bebê em relação ao outro é analisada assim como a quantidade de placentas, se a mãe tem hipertensão, por exemplo, pode precisar de indução. Enfim, não dá para determinar uma idade gestacional pois varia de caso para casa”, afirma.

As gestações com placenta e bolsa únicas geralmente são as que são interrompidas antes – por volta da 34ª semana. “Já quando há duas bolsas e duas placentas tendem a ser gestações mais longas pois permitem que os bebês cresçam mais”, diz. Priscila explica que quando há uma placenta a circulação de um passa para o do outro e isso pode comprometer o crescimento de um deles.

QUAIS OS TIPOS DE GESTAÇÃO GEMELAR

Mono-Di
Uma placenta e duas bolsas

Mono-mono
Uma placenta e uma bolsa

Di-Di
Duas placentas e duas bolsas

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.