Unicef lança campanha para orientar mães a esperar pelo trabalho de parto

2
Compartilhe!
Mulher durante trabalho de parto acompanhada por equipe humanizada (Foto: Carolina Zia Fotografia)

Mulher durante trabalho de parto acompanhada por equipe humanizada (Foto: Carolina Zia Fotografia)

O Unicef lança nesta quarta-feira (19) a campanha Quem Espera, Espera para alertar as mulheres sobre a importância do trabalho de parto espontâneo para a saúde da mãe e do bebê. O elevado número de cesarianas coloca o Brasil em segundo lugar no mundo em percentual neste tipo de via de nascimento.

A ideia da campanha é trazer informações para as mães para mostrar que cada semana a mais de gestação aumenta as chances de o bebê nascer saudável, mesmo quando não há mais risco de prematuridade. As últimas semanas de gestação permitem maior ganho de peso, maturidade cerebral e pulmonar.

De acordo as pesquisas apresentadas na análise do UNICEF, o grande número de nascimentos entre a 37ª e a 38ª semana de gestação está associado ao elevado número de cesáreas realizadas antes do trabalho de parto espontâneo, principalmente, na rede particular de saúde. Vale ressaltar que metade dos partos realizados no setor privado ocorrem nessa idade gestacional.

LEIA MAIS: Quanto tempo dura a gestação e até quando é seguro esperar?

Entre os Estados com maiores percentuais estão Goiás (67%), Espírito Santo (67%), Rondônia (66%), Paraná (63%) e Rio Grande do Sul (63%). Segundo estudos, grande parte das cesarianas é realizada de forma eletiva, sem fatores de risco que justifiquem a cirurgia, e antes de a mulher entrar em trabalho de parto.

“O trabalho de parto espontâneo é a única maneira 100% segura de saber que o bebê está pronto para nascer. Esse processo traz uma série de benefícios para a mãe e o bebê. Privá-los do trabalho de parto, por meio de cesarianas eletivas, pode gerar consequências negativas para a saúde de ambos”, diz Gary Stahl, representante do Unicef no Brasil.

Vale ressaltar que no trabalho de parto são liberadas substâncias que ajudam no amadurecimento final do organismo da criança, como o hormônio corticoide, que age no pulmão. Para a mulher, o trabalho de parto ajuda também a liberar hormônios importantes, que vão prepará-la para a amamentação.“Garantir o direito ao trabalho de parto espontâneo é um dos desafios atuais do Brasil para assegurar a sobrevivência e a saúde de mulheres e seus bebês”, explica Stahl.

LEIA MAIS: Quais são as fases do trabalho de parto

No site http://www.quemesperaespera.org.br/ serão apresentadas informações sobre a importância de esperar pelo trabalho de parto. E as mulheres serão convidadas a enviar seus depoimentos sobre as experiências no parto de seus filhos, dando dicas para ajudar futuras mães a entender melhor a importância dessa espera. Segundo o Unicef, estará disponível para ser baixado um plano de parto que pode ser personalizado, de acordo com as preferências de cada grávida. A campanha do Unicef também terá uma série de filmes que contam com a participação da atriz Heloísa Périssé.

A iniciativa faz parte da campanha global do Unicef #EarlyMomentsMatter, que tem como foco a primeira infância.

2 Comentários

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.