Vacinação contra a gripe será antecipada para o dia 11 em SP

0

Vacinação será antecipada em todo o Estado (Foto: Divulgação/Secretaria de Estado da Saúde)

 

Devido ao grande números de casos e a corrida para vacinar em clínicas particulares, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo decidiu antecipar a vacinação contra gripe deste ano para cerca de 3,5 milhões de paulistas. A campanha começa no dia 11 de abril e será voltada para crianças maiores de seis meses e menores de cinco anos, gestantes e  idosos. A campanha em todo o país começa oficialmente em 30 de abril.

As doses vão proteger a população contra os vírus do inverno de 2016 (A/California (H1N1), A/Hong Kong (H3N2) e B/Brisbane). Segundo a secretaria, primeiro serão imunizados os profissionais de saúde de hospitais públicos e privados já a partir do dia 8.

No Brasil, são 305 casos até agora enquanto em 2015 inteiro foram 141 registros da doença. Ao todo, já são 46 mortes confirmadas no país neste ano ante 36 em 2015. A região Sudeste é a mais afetada com 266 casos sendo 260 no Estado de São Paulo que já registrou 38 óbitos

Para as demais cidades do Estado e outros demais públicos-alvo (doentes crônicos, puérperas, indígenas, funcionários dos sistema prisional e a população privada de liberdade), a campanha de vacinação contra a gripe deve seguir o calendário do Ministério da Saúde, com início previsto para o dia 30 de abril.

“Essa antecipação é muito importante já que, no caso dos profissionais de saúde, eles terão contato direto com um grande número de pessoas que podem estar com o vírus e precisam estar protegidos, até para continuar cuidando dos pacientes. Já em relação aos idosos, crianças e gestantes, a importância se deve pela relação mais direta que esse público tem com os casos mais graves da doença”, afirma o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, David Uip.

Por conta do grande número de casos, desde o dia 23 de março 67 cidades da região de São José do Rio Preto iniciaram uma vacinação extra contra a gripe, com doses remanescentes de 2015.  No entanto, neste caso específico, quem tomar a vacina agora, não estará desobrigado de também tomar durante a campanha nacional por serem vacinas distintas.

Conforme diretriz do Ministério da Saúde, apenas os casos graves de gripe, caracterizados como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), devem ser notificados obrigatoriamente pelos serviços de saúde.

O H1N1 é uma variação da gripe comum e é estimado que tenha surgido em 2009 e que a sua transmissão aconteceu primeiro em suínos e, por isso, a doença é popularmente conhecida como gripe suína.

1 – Quais os sintomas?
Os sintomas são parecidos com a  da gripe normal. Aém de febre alta (acima de 38,5°C), tosse, coriza, irritação nos olhos e nos ouvidos, dor muscular, de cabeça e de garganta. O paciente normalmente sente falta de ar e dor no tórax. Pode haver episódios de vômito e diarreia. Os médicos alertam que a doença pode evoluir para uma situação mais grave de pneumonia viral.

2 – Como se prevenir?
Lave as mãos e use álcool em gel e procure cobrir o nariz e a boca quando espirrar ou tossir. Se estiver gripado, use máscaras e não compartilhe objetos como talheres, copos. Também é importante ficar em locais bem arejados

3 – Há vacinas diferentes na rede pública e privada?
Sim. Na rede pública é dada a trivalente, que imuniza contra três tipos de vírus e a tetravalente, que imuniza contra quatro tipos, só é encontrada em clínicas particulares. Ambas incluem a imunização contra o H1N1.

 4 – Ao tomar a vacina a imunização é imediata?
O paciente que tomar a vacina só estará protegido após um período de três a quatro semanas

5 – Quem tomou a vacina em outros anos está protegido?
A vacinação deve ser feita todos os anos pois a imunização é garantida por um período de seis a oito meses.

6 – Ficarei gripado se tomar a vacina?
Isso é um boato pois a vacina não provoca a doença pois é feita com partículas virais que é feito depois que o vírus foi morto e fragmentado, ou seja, não há nada que possa fazer a pessoa ficar gripada ao ser imunizada.

7 – Há efeitos colaterais?
Como qualquer outra vacina, é esperado dor e inchaço no local da picada e pode haver efeitos colaterais como febre e indisposição.

Compartilhe!

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.