Sem dinheiro, hospital referência em parto humanizado corre o risco de fechar

1
Compartilhe!
Mulher em trabalho de parto no Sofia Feldman (Foto: divulgação)

Mulher em trabalho de parto no Sofia Feldman (Foto: divulgação)

O Hospital Sofia Feldman, que é referência no país em parto humanizado, corre o risco de reduzir os atendimentos e até fechar as portas. Localizado em Belo Horizonte (MG), a unidade de saúde acumula dívidas, está com o pagamento de fornecedores atrasado e os funcionários sequer receberam o décimo terceiro salário do ano passado.

Com o atraso no pagamento de fornecedores, há o risco de faltar materiais e medicamentos para o atendimento.“Estamos asfixiados. Podemos morrer por inanição”, afirma o diretor técnico-administrativo, Ivo Lopes. Segundo ele, a situação é grave pois desde 2013 não há reajuste na receita do hospital.

O déficit  mensal é de um R$ 1 milhão. Lopes explica que a receita média do hospital é de R$ 4,8 milhões e o gasto é de aproximadamente R$ 5,8 milhões. A maior parte da receita do hospital vem de recursos públicos dos governos estadual e federal. Segundo o hospital, desde 2013 não há aportes financeiros da Prefeitura de Belo Horizonte e há atrasos nos repasses do Estado. “Apesar de ter sido reconhecido como hospital de ensino em 2014, a instituição não recebe o incentivo destinado a este fim – o que não acontece com outros ‘Hospitais Escolas’ de Belo Horizonte”,diz nota enviada pelo hospital.

Procurada, a prefeitura disse que repassa mensalmente recursos para o hospital  e que atualmente está atrasado somente o “recurso referente ao incentivo de cirurgias eletivas, devido a problemas com os repasses estaduais para este fim” e, que assim que forem pagos, serão repassados. Nos últimos três anos, 2014 a 2016, a prefeitura diz ter transferido ao hospital valores na ordem de R$ 176 milhões, uma média mensal de R$ 5 milhões.

A Secretaria de Estado de Saúde informou que o repasse é feito por meio de dois programas, o Rede Cegonha e Pro-Hosp. Nesse último, estava previsto R$ 3,1 milhões em 2016, divididos em três parcelas, no entanto, parte da terceira prestação “encontra-se em processo de pagamento no setor de Planejamento e Finanças”, segundo a pasta. Para 2017, o Sofia Feldman deve receber R$ 7,25 milhões.

Já o Ministério da Saúde informou que o hospital está sob gestão municipal e que cabe ao município ”garantir a melhor oferta assistencial e o acesso da população aos serviços de saúde. É importante ressaltar que o Ministério da Saúde não faz repasses diretamente aos hospitais, com exceção dos hospitais federais”, diz o ministério. Em fevereiro deste ano, Belo Horizonte recebeu do Ministério da Saúde R$ 91,88 milhões para ações de média e alta complexidade, recurso que o município pode direcionar entres as unidades de saúde que atendem pelo SUS.

O hospital faz atendimentos somente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e atende mais de 300 cidades mineiras. O Sofia Feldman  realiza cerca de 900 partos por mês sendo a maior maternidade do país em números de partos. A unidade também é referência  no Estado em neonatologia com 80 internações por mês de prematuros.

Como já mostrou o Mães de Peito, é a única maternidade pública que tem equipes para atender parto domiciliar pelo SUS. Desde dezembro de 2013, já foram 112 famílias atendidas por partos em casa.

COMO AJUDAR?

Para tentar sair do sufoco e pagar os fornecedores e funcionários, o hospital começou uma campanha financeira. As doações podem ser feitas pela conta corrente na Caixa Econômica Federal: cc 5362-0 agência 084, Op.03. Os interessados em ajudar de outras formas podem entrar em contato pelo e-mail captacaoderecursos@sofiafeldman.org.br ou pelo telefone (31) 3408-2218.

Nesta quarta-feira (22), às 17h30, será feito um ato no auditório da Secretaria Municipal de Saúde, localizado na avenida Afonso Pena, 1.212. Na ocasião, que contará com a presença dos conselhos Municipal e Estadual de Saúde, será articulado o evento #AbraceoSofia no dia 08 de março no Sofia. O hospital pede a mobilização da sociedade nas redes sociais e a divulgação das hashtags #SomosSofia,  #AbraceoSofia e #DefenderoSofiaédefenderoSUS.

 

1 Comentário

  1. Gláucia dos Santos Cruz em

    É uma HONRA que minha foto seja divulgada para tentar sensibilizar a população, político e outros meios de ajuda para salvar o Sofia. O Hospital faz parte da minha história, ajudou a realizar um dos meus maiores sonhos e só pode ser tranquilo e seguro com a paciência, a humildade e o profissionalismo da equipe do Sofia. Eu e minha família podemos gritar para o brasil que orgulhosamente SOMOS SOFIA!!!

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.