VBAC: o que é e quem pode ter um parto normal após cesárea

1
Compartilhe!
Mãe com bebê no colo logo após conseguir seu VBAC (Foto: Carolina Zia Fotografia)

Mãe com bebê no colo logo após conseguir seu VBAC (Foto: Carolina Zia Fotografia)

Muitos médicos ainda repetem a frase: “uma vez cesárea, sempre cesárea”. No entanto, a mulher que foi submetida a uma ou mais cesáreas, pode sim ter um parto normal na próxima gestação se esse for seu desejo.

A chamada VBAC (sigla para Vaginal Birth After Cesarean ou parto vaginal após cesárea) é a opção mais segura para a mulher – e para o bebê – após a cirurgia. “O risco de ruptura uterina é de 0,1 a 0,6% ao tentar um parto normal após cesárea, ou seja, o risco é muito baixo disso vir acontecer. Fora que os riscos de uma nova cirurgia são maiores”, comenta o médico obstetra Bráulio Zorzella. A própria OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o parto normal após cesárea.

Bráulio explica que a cesárea foi uma cirurgia desenvolvida tecnicamente no final do século 19 e que no começo do século 20 foi incorporada nos serviços obstétricos justamente para salvar bebês. No Brasil, a primeira cesárea foi realizada em 1917. “Inventaram a cesárea para salvar bebês que não tinham passagem na hora do parto ou falta de oxigênio intrauterino, que fazia os bebês nascerem mal, com sequelas ou que vinham a óbito”, comenta o médico. O médico ressalta que também são indicações reais de cesárea herpes ativa vaginal e HIV sem controle.

LEIA MAIS: Quais as reais indicações de cesáreas

O obstetra comenta que a cesárea foi se difundindo e, na década de 70, 14% dos nascimentos já era feito por meio da cirurgia. “Quando inventaram a cesárea, não sabiam as complicações que poderia haver de um parto normal após cesárea. Então, prevaleceu o discurso de ‘uma vez cesárea, sempre cesárea’, que reflete até os dias de hoje apesar de trabalhos científicos mostrarem que há mais risco de ir direto para uma cesárea eletiva do que esperar a mulher entrar em trabalho de parto e tentar um parto normal”, comenta.

O médico comenta que quanto mais cesárea a mulher tiver, maior são os riscos de ruptura uterina. Uma das pacientes do obstetra, conforme mostrado no Mães de Peito, teve recentemente um parto normal após quatro cesáreas. Leia mais sobre o caso clicando aqui.

Bráulio explica que a recomendação é que o VBAC aconteça em ambiente hospitalar por conta do risco de ruptura uterina. Apesar de ser baixo esse tipo de problema, pode ser necessário a remoção imediata para uma maternidade caso a mãe esteja em casa. No entanto, muitas mulheres optam em ter seus bebês em casa, com enfermeiras obstetras e obstetrizes, justamente para fugir dos protocolos hospitalares e para não serem submetidas a outra cesárea que, muitas vezes, são sem real indicação.

1 Comentário

  1. Olá,tenho 25 anos. Tenho uma cesária recente de 1 a 3meses ( bebê sentado e sem líquido amniótico), porém sonho com o parto normal. Todos os médicos que passeia,me passaram a informação que é arriscado ter o parto normal pela questão da ruptura uterina é que provavelmente não entrarei em trabalho de parto. E estou com 40 smn e não sei o que fazer. Posso ter o parto normal com a cesária recente? Posso esperar pelos sinais de trabalho de parto?

Deixe aqui o seu comentário

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.